Amigos

domingo, 21 de julho de 2019

APENAS PARA RECORDAR ... (ESCRITO em 1961)


 Um  homem  evadiu-se
transpôs os  limites  do  que lhe  foi dado
E  partiu   em  busca  do  azul...
Talvez  toda sua vida  tenha  sido
uma  contínua  e  constante  busca  do azul!
O  Homem-símbolo  partiu.........................
e  a Humanidade  quedou-se  à espera...
O  coração  ansioso,  o  rosto  tenso
e  nesse  rosto estava  a síntese de  toda
uma procura.
Uma procura que  se  traduz
em  gêneses  de Evolução...
O  Homem  símbolo  voltou.
Trazia  nuvens  nos  olhos, retalhos  de azul  na mão.
Foi  o  que  conseguiu...
uma  certeza  e uma frustração.
E apenas  do  almejado  a antevisão.
E  a  esperança renovada  em  cada
elemento  da  espécie...
Meta  redefinida  em  termos
de  continuidade   garantida,
o  equilíbrio  instável  reassumido
pela  esperança  do  homem -azul...
Uma  etapa vencida em  busca  da  consecução...

Guaraciaba  Gonçalves  Lopes  (196...)
quando da  primeira  viagem  espacial

"A  Terra  é  azul!"  exclamou  o  astronauta  Yuri  Gagarin

Um  sonho  realizado  no planeta  que já  sabia  ou  intuía  desde  sempre
a cor  do  seu  lugar.


Guaraciaba   Perides 



sexta-feira, 28 de junho de 2019

ONE MORE CUP OF COFFEE BOB DYLAN


One  more  cup  of  coffee



Your breath is  sweet
yours  eyes are  like  two jewels in  the  sky
your  back  is  straight, your hair  is   smooth
on the pillow  where you  lie
But  don't I sense affection
No  gratitude  or  love
Your  loyalty is not  me
But to  the  stars above

One  more  cup  of  coffee  for  the road
One  more  cup  of  coffee fore  I  go
To  the  valley  below

Your  daddy he's  an outlaw
And a wanderer  by trade
He'll teach you  how to pick  and  choose
And how to throw the  blade
He  oversees  his  kingdom
So no stranger does intrude
His  voice it tembles as he  calls  out
For  another  plate  of  food

One  more  cup of  coffee for  the road
One  more of  coffee fore  I  go
To  the valley  below

Your  sister   sees the  future
Like your   mama   and  yourself
You've  never learned  to  read  and  write
There's no  books upon  your   shelf
And  your  pleasure  knows  no  limits
Your  voice  is  like a  meadowlark
But your  hearth is  like an  ocean
Mysterious and  dark

One more  cuo of  coffee for  the  road
One  more  of  coffee fore  I  go
To  the  valley  below

(letra  de Bob Dylan)


Tradução  sugerida

Seu  respirar é  doce
Seus  olhos  são  como  duas  joias  no céu
Seu  dorso é  ereto e seu cabelo é macio
no travesseiro  onde você  se deita.
Mas  eu  não  sinto  afeto
nem  gratidão  ou  amor.
A sua  lealdade não é para mim
mas para as estrelas  acima.

Mais  uma xícara  de café  para  a estrada
Mais  uma xícara  de café antes  de eu ir
para o vale  abaixo.

Seu  pai  é um  fora  da lei
e um andarilho  por ofício
Ele lhe  ensinará fazer  escolhas
e como arremessar  a faca.
Ele  inspeciona o seu  reino
onde  nenhum  estranho pode  entrar;
E sua é voz  treme  quando  ele grita
por  um outro  prato de  comida.

Mais  uma xícara   de café  para  a estrada
Mais  uma  xícara  de café antes  de eu ir
para o vale  abaixo.

Sua irmã  vê  o  futuro
Como  sua mãe  e com você  mesma.
Você  nunca  aprendeu  a ler  e escrever
e não há nenhum  livro  em sua  estante
E seu prazer  não  conhece  limites.
Sua  voz   é  como o da cotovia
mas o seu  coração é  como  um  oceano
Misterioso  e  escuro.

Mais  uma  xícara  de café  para  a estrada
mais uma xícara  de café antes  de eu  ir
para o vale  abaixo.


apresentação  de  Bob  Dylan....letra e música  de sua  autoria


..................................................................................................................





segunda-feira, 17 de junho de 2019

A leitura que se faz quando se sonha...

Eu fecho  a janela e  abro os olhos
e começo  a sonhar  em outro  tempo
viajo pelas  asas  do absurdo
e de repente  entro em transe  no  abstrato.
Eu sou aquela  que ainda  espera
a primeira  estrela 
brilhar  no céu  da fantasia.
O tempo passa  apenas no relógio
mas não em  mim  que ainda sonho  em vão
São tantas e tantas  descobertas
que  se abrem  no painel  do coração.
Aquela  que  sonha   é  a menina
que um dia resolveu   crescer...
Mas quando  fecho  a janela e abro os olhos
Sou  eu  liberta  das amarras  de conceitos e
deixo  a  alma correr  ...
E já não tenho   idade e já não tenho  medo
e apenas  sei de mim  no meu profundo anseio,
crio  paisagens e   percorro  mundos
e bem no fundo  do  meu eu faço ironias,
pois  sei que sempre chega  a hora  de  acordar.
Se o sonho  é bom  eu penso  que  ele espera
pois   sempre  a releitura  haverá... e
outras  matérias  de  sonhos vão chegar.
Mas  também sei  que no espaço de um sonho
há  sempre um  tempo maravilha que é transposto
Um trampolim  no  círculo  de luz de um
céu  de  estrelas...
Que bom que seja , assim tanta esperança...
 A vida lá fora já me chama
O sol nasceu  e o galo  já cantou?
O galo  já  não canta, pois virou  conceito
Os pássaros  resistem  com denodo 
e assim como nós procuram um jeito
de fazer  valer  a poesia  que acabou...


Guaraciaba   Perides

Sonho  Meu...   De  Dona  Ivone  de Lara   -  cantam  Maria  Bethania  e  Gal  Costa


                                          
   
    

às vezes  abrimos  os olhos  para  sonhar 
o que de mais  profundo  existe em  nosso Eu

domingo, 2 de junho de 2019

CAPELINHA DE MELÃO (memórias)

A  casa  em  alvoroço!
É  a  festa   que  se prepara
feita  com  muita  emoção...
No quintal  de  terra  batida,
entre  galos  e  galinhas..
É  levantado  um  mastro
do  santo  de  devoção.
E  depois  de muito  esforço
desfralda-se  uma  bandeira...
e nela um  menino ,
de cabelo cacheado,
de olhos  doces e  meigos
traz  no  colo  um  carneirinho.
Passeando  entre  os  adultos
a menina se interroga:
- Quem  será  esse  menino ?
Tanta  festa,  tantos  doces,
tantos  risos,  tanta  alegria...
Passavam pessoas  de lá  para  cá...
e lá  da sala  de dentro,
arrumava-se  um  altar,
como se da  igreja  fosse...e
as moças que arrumavam
traziam  toalha  rendada  e
flores  em  profusão.
A  menina nunca  vira tanta gente...
e ficava  admirada
- O que será?  o que seria?
Perguntou  à  sua mãe o porque
do  alvoroço...Sua  mãe  que  também
se encantara, disse-lhe  que
era para rezar  o terço
em homenagem  a São  João...
- E  quem é  o São  João?
-É  o menino  do  carneirinho
que você  viu  na  bandeira e
que está lá no  quintal.
-E   por  quem tem tanta  festa?
-É  que é o dia da  festa
do  Padroeiro  da  casa,
pois o dono  e  seu  avô
também  se chama  João.
Agora,  os olhos  se abriram!
que  alegria,  que  alegria!
Por isso todos    chamavam
o vovô  de  Seu  João!
E a menina  olhava da varanda
para  a calçada
e viu que bem a sua frente
faziam  uma  grande  fogueira...
Estilhaços  e fagulhas
brincavam  na  escuridão!
Depois  da  reza  comprida
e  cumprida  a devoção...
Vamos  aos  comes  e bebes
porque os risos correm soltos
-Ei , que lá  vem o  quentão!
As  mulheres  na cozinha
junto  ao  fogão  de lenha
preparam já  os  quitutes...
e  sobretudo  os  doces
que  a menina  aguardava...
Eram  os pés  de moleque (?)
doces de leite e broínhas de milho,
bolinhas  de amendoim...
e também  muita pipoca
que  a  menina  adorava!
Era noite e  a lua  cheia
brilhava  com  encantada...
E  como estava  sozinha
a  menina  desceu  ao  jardim
que havia  ao lado  da  casa...
e num  pequeno  portal
havia  uma trepadeira de
lindas  flores  em penca
e  de perfume  muito doce...
E a menina  fica olhando
-Tudo  tão  novo  e  tão   bom...
Sua mãe  que  viera  atrás,
porque  a  menina é  pequena...
E  a menina  perguntou;
-Mamãe, qual é nome  dessa flor?
A  mãe  então  respondeu:
-Chama  flor  de  São João.
 E  a menina de novo admirou-se
- Parece  aquela que a senhora  canta
quando vai  me fazer dormir!
E  sai pulando  e  cantando
"Capelinha  de melão...é de São João,
é  de cravo, é  de  rosa  ,  é  de  manjericão..................

De tudo só resta  a lembrança
De  uma  festa  de  São  João!

A música ecoa  ao  longe
a lua  ainda  pode  escutá-la.
ficou  a saudade  infinda
na alma  e no  coração!

Guaraciaba   Perides



Flor  de São  João


Os  tempos  verbais  se misturam  porque o que foi um dia  presente e hoje já é passado, mas ,
 entretanto,  a menina  ainda  existe e com ela   persiste  a memória  de todos  os  tempos

quinta-feira, 23 de maio de 2019

ENQUANTO AS HORAS PASSAM

A  fala  é desconexa
O pensamento  de  granito
Nada   flui, não  há  leveza
ou  sentimento.
Contraditórios  loucos  sonhos
fazem  do  cavalo  o seu  senhor.
Se  fosse  um  andarilho...
Se  fosse  um  equilibrista...
Traria  guarda- sóis  de  girassóis.
Tangentes  e plangentes
perfídias  se  avizinham
do  torpe  bailarino
faz  de  conta...
Seu  riso  força  a  entrada do destino
Alienados  e  sutis são  os 
fios  do mambembe...
No circo  flutuante , em  águas turvas
que  se  condensam  em  torvelinhos...
O  palco   está  armado
As  feras  abrem  as  bocas...mostram  os  dentes.
Um  sol  perdido escondido  atrás  do  tempo-
outras  histórias   em  tudo  tão  iguais.
Agita-se  a  platéia...em  grupos  desunidos,
batem  palmas  e vaias   em uníssonos...
A   graça  que  se  perde,  o  sonho  que  se  esvai.
Os  sábios   que  se calam
fecham  os  olhos.
O  homem  do  trombone  solta  o  som,
os  pratos  ressoam  estridentes,
o  bumbo  ressoa   em  tom  severo...
E  enquanto  o  tempo  passa 
a  Banda  toca...
Sempre  a  mesma  música 
e  o mesmo  tom.

.........................................................
E vem  de  outros   tempos
Outras  falas...
Conceitos  abstratos
do  ' Vosmecê '  encantado
dos  Senhorios e  Patrões

Guaraciaba  Perides

Obra  de Portinari (fragmento  de  Guerra  e Paz)

segunda-feira, 13 de maio de 2019

CAMAFEU

- Como  ela   é   bela! -  pensa  o  Colibri
- E o  seu  perfume  é   intenso!
Diz  com  suavidade  a brisa.
O  sol  contempla complacente  a  obra
E a  beleza resplandece  em  flor.
E na  manhã  ainda  tão  nascente
O  orvalho  molha  seus  lábios  de mel
Ela estremece  ao  gozo  desta  vida
E  muita  mais  encanta  o  seu  desabrochar...
Passa  o  poeta  por  este  recanto
e  vendo  a bela,  começa  a  cantar.
Seus  versos fluem  em  doces  murmúrios
e  ela  tão  meiga  começa  a  dançar...
Movendo  com  leveza  os  ramos,
ela  se  inclina  delicadamente,
e balançando  as  sedas  que  compõe
seu  talhe...ela  gradece  como  bailarina.
Guardou  em  sua  memória  o  artista.
E  fez  da  cena  de  beleza  etérea
uma  joia    rara  para  sua  amada
E  num  camafeu  de  valioso  entalhe
registrou  o  encontro com  algo  de magia:
A  interação  de  Flor  com  versos  de Poesia.

Guaraciaba  Perides.












sonhando   a  vida...

sábado, 4 de maio de 2019

ANDANDO EM CÍRCULOS (fragmento de memória)

 Uma  praça ,  um jardim
Um grande  Plano
Uma  Esperança  infinda
Um  sonho  de  viver  a  Vida...
As  horas  são  apenas
círculos   no relógio e
nada  consta  que não se repitam
pelos  anos  a fora.
A  Estátua  de  MINERVA *
e seus  grandes pés apontam
todos  os  caminhos...
Dali  circundam  as  várias setas
que percorrem  o mundo.
Um  mundo  a construir, um novo passo
à  realidade das  cores  do caleidoscópio,
no mundo real e  virtual  dos  sonhos.
Um  tempo  de  abrir os  pensamentos
para a  filosofia  do  existir em
novas  vivências  e  experiências.
Tudo  tão  novo  e  fascinante
e pleno de  caminhos mágicos entre
as  tantas  realidades  dos  possíveis.
O  mundo  de viver  a Lua sendo
palmilhada  por  humanos...
Será isso  possível?
Os  deuses  do passado  serão  os
deuses  do  futuro...
Serão os  "deuses  astronautas"?
Seremos um ,  dois  ou  mil...
ou  seremos  "todos um"?
Seremos  todos  Junguianos do
"inconsciente  coletivo"?
Será  o  tempo  da  "Paz  e  Amor",
no circuito  do  Vietnã...?
Só  um  momento...
num ciclo  de  múltiplas  lembranças...

A  Deusa  Minerva  permanece  estática
e  seus pés  ainda  apontam  rumos...
Só  não  sei se  ainda  existem  jovens
que  ainda  sonham...

Guaraciaba  Perides

*  Nota:  Na  Biblioteca   Mário  de  Andrade,
em  São Paulo, há  no adro , uma uma gigantesca  Estátua   de  Minerva .
Lá  se  reuniam os  estudantes para  discutir o  mundo  em  suas
variadas  soluções (décadas de 50, 60 ,70...)
Eu  fazia  parte  aos  meus  vinte  anos...



A música  "Hier  encore"  com Charles  Aznavour






;andando   em círculos  na Rosa  dos  Ventos e  na memória  dos  tempos...