Amigos

domingo, 12 de outubro de 2014

HISTÓRIA DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA - PARTE I V

DESENVOLVIMENTO DAS ESCOLAS DE  SAMBA- Os pilares do desenvolvimento doSamba Urbano.

Para onde iam se estabeleciam em comunidades com suas tradições religiosas culturais
e com seu Carnaval. E foi o Carnaval das camadas populares o caldeirão onde se temperou
o samba urbano do Rio de Janeiro que adquiriu sua expressão artística de espetáculo através
 dos Ranchos Carnavalescos.A marcha  carnavalesca era tocada para aproveitar a evolução
dos ranchos e para atender o gosto das orquestras de salão.

O primeiro Rancho Carnavalesco foi o Rancho Carnavalesco Amena Resedá (1907-1941)
e  levou às ruas o carnaval espetáculo,pois pretendia representar    "Óperas ambulantes"
inclusive com coro e orquestra. Por se considerar um modelo se auto intitulava rancho-escola.
Na época do apogeu desse Rancho, a manifestação africanista sofria dura repressão policial.
Para fugir à repressão as comunidades do samba resolveram adequar estas expressões musicais
a um padrão social mais bem aceito.Criaram então suas  "embaixadas", depois "escolas de samba".

Com o desenvolvimento da indústria fonográfica os sambas começaram a ser gravados.Em 1917
o primeiro samba gravado a obter sucesso foi "Pelo telefone" de Donga e Mário Almeida e fazia
 crítica à corrupção policial da época. Em seu ritmo percebia-se a reminiscência de batuques ne-
gros, estribilhos do folclore nordestino e sapecado do maxixe carioca. Segundo o pesquisador
Nei Lopes, nas três primeiras décadas do século XX, formata-se o samba urbano, oriundo dos
morros e das vilas ganhando formas no Estácio e adjacências através do famoso sambista Ismael
Silva, lapidando-se em torno de Vila Isabel através de Noel Rosa e consolidando-se através de
duas vertente básicas; Ari Barroso e Ataulfo Alves.

Através do interesse fonográfico pelas novas composições divulgam-se as diversas modalidades
 do samba e começaram a se interessar por elas jovens brancos da classe média.Entre eles Noel Rosa
 que representa um elo entre a música  dos morros e do asfalto,
A partir de 1929, estreita seu contato com os sambistas do morro do Salgueiro, Mangueira, Serrinha
e outros, todos logo requisitados como parceiros. Com o sucesso de "Com que roupa" deslancha
uma carreira de sucesso, expressando-se como grande compositor sempre reverente às formas
tradicionais, fazendo parceria com  grandes sambistas, como Ismael Silva e Heitor dos Prazeres.

Foi o sucesso de Noel que preparou o terreno para o surgimento de um samba mais encorpado
e elegante que se expressaria com Ari Barroso, talvez o primeiro das classes abastadas a brilhar
entre os grandes criadores do samba brasileiro.Entre suas grandes composições citam-se
"Aquarela do Brasil" e "Na baixa do Sapateiro" e outros de caráter ufanista, apoteótico, que esti-
mularam o surgimento de outros compositores de mesmo estilo que acabou por desaguar  nas escolas
que desenvolveram o modelo típico da grandes sambas de enredo.

No mesmo contexto histórico , mas de origem social diversa, também de Minas Gerais, viria
Ataulfo Alves, o quarto dos grandes pilares sobre os quais o samba carioca se consolidaria.
No meio musical desde 1934, foi se firmando como intérprete e com seu grupo de "Pastoras"
desenvolveu um estilo único, músicas de letras simples, mas de conteúdo filosófico e melodias
inspiradas.Estabelece como que uma síntese da música da roça às fontes do samba do morro.
No requisito dos conjuntos musicais deve-se citar também nesta primeira fase do desenvolvi-
mento da MPB a presença de  Pixinguinha e os Oito Batutas, que formaram  um conjunto musical
 de bastante sucesso, de expressão internacional, abrindo caminho para a formação de outros importantes grupos. Ente suas grandes composições citam-se "Carinhoso" de Pixinguinha, um
clássico  da Música Popular  Brasileira.
Do ponto de vista social, foi através da música que os sambistas procuraram e muitos consegui-
ram uma expressiva mudança de status econômico e social.No final da década de  20, composi-
tores do morro tinham conseguido penetrar no mundo do rádio e do disco principalmente vendendo suas obras ou dando  parcerias a autores e intérpretes consagrados.

Afirmam os historiadores que com o surgimento do Bando dos Tangarás (de que fazia parte Noel
Rosa)   em 1929 e com a morte do grande sambista de primeira hora, José Barbosa da Silva, o Sinhô,
em agosto de 1930 encerra-se a primeira parte da História da Música Popular  Brasileira.


.................................................................................................................................................
 A História continua com a  ERA   DO  RÁDIO



Música de Noel Rosa "Com que roupa "seu primeiro Sucesso




  Ataulfo Alves com "Meus tempos de Criança"

                                       

Pixinguinha e o seu grande sucesso "Carinhoso"



De Ari Barroso "Aquarela do Brasil "  cantado por João Gilberto
 


Por hoje é só...espero que apreciem  . Um bom domingo!
Viva Nossa Senhora Aparecida!
Feliz Dia das Crianças!                                                                              

22 comentários:

  1. Viva Amiga A Nossa Senhora Da Aparecida.
    E Deus abençoe todas as crianças do mundo inteiro.
    Minha amiga percebi que a gente se une mais com as postagens
    que tanto amo fazer no meu blog.
    Eu voltei por estar me sentindo inútil sem fazer
    aquilo que sempre gostei de fazer e nada impede de
    postar meu blog com os poemas que
    eu amo e dar continuidade no meu livro.
    Obrigada pela atenção e carinho estou feliz com essa união linda.
    Uma semana abençoada beijos,
    Evanir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Evanir...de fato, estou sentindo você mais entusiasmada...Parabéns pelo lindo trabalho.
      Um abraço, paz Saúde e amor.

      Excluir
  2. Conhecimento para guardar.

    Muito interessante.

    Beijinhos


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,Pérola...de fato, foi trabalho de pesquisa. No final vou colocar a bibliografia para quem tiver maior interesse de aprofundar mais vertentes do cancioneiro popular.
      Um abraço

      Excluir
  3. Adorei saber tudo isso amiga Guaraciaba.
    Bjs e obrigada sempre pelas visitas.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carmen, que bom...assim vamos conhecendo um pouco mais de nossa história musical ou recordando as que nossos pais cantavam e relembrando as de nossa geração.
      Obrigada e um abraço

      Excluir
  4. Oi Guaraciaba,
    De carnaval gosto da sua história, assistir as escolas de samba do (pela televisão) do Rio e as marchinha. Brinquei uma vez só o Carnaval com 15 anos, mas minha preferência eram aqueles bailes orquestrados( Já passei do ponto.kkk).
    Venho agradecer de coração o carinho que demonstrou com minha poesia no Viviani
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  5. Oi, Dorli, prazer em recebê-la...eu também do Carnaval, só aprecio o conceito (rs), mas como fiz este trabalho de música popular brasileira e gostei de saber como a canção brasileira foi se formando ao longo de um século a partir das raízes de nosso povo, achei que seria legal colocar no blog, e conhecer melhor os grandes compositores da velha guarda e com isso o Carnaval que gerou grandes músicas que viraram clássicos da música popular...mas vamos ver ainda muitos gêneros, que irei colocando de vez em quando para não ficar muito pesado, afinal são cem anos (rs).Quanto à sua poesia , ela pareceu sair da minha memória ,pois quando era bem pequena, havia um campinho perto de minha casa com as flores do campo, principalmente aquela amarelinha e a outra que parece uma bolinha com fiapinhos de sementinhas, leve e que se desmancha ao vento ( como é mesmo o nome?)...eu adorava soprar e ver voar os fiapinhos..Sempre tenho na minha memória
    lembrança tão agradável e me identifiquei de imediato com sua poesia.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que maravilha!
    Amiga, muito grata mesmo pelo carinho e força que me deixaste lá no Prosas Poéticas. Você tem um espaço aqui de uma importância grandiosa para a nossa cultura. Estou feliz por te conhecer!
    Um sereno dia...
    Beijos de gratidão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanusa...obrigada. é bom conhecer pessoas que escrevem e traduzem a nossas emoções, aumentam a nossa sensação de bem estar no mundo, próximos de pessoas que compartilham poesia.
      Um abraço

      Excluir
  7. Fui habituada a a ver e ler revistas dedicadas ao rádio lá em casa, sendo eu a irmã caçula de 3 irmãos bem mais velhos que eu, que nasceram no início dos anos 1930 e traziam as tais revistas. Naquela época ouvia-se rádio, e eu frequentei programas de auditório, na década de 50, em Fortaleza. Sempre vinham as atrações artísticas: grandes cantores da época. Fora os filmes da Atlântica que, diga-se de passagem, eram "chanchadas" mas divulgavam muito a MPB. O fato é que sempre estávamos a par das novas músicas lançadas no "Sul Maravilha", no dizer popular. Sua matéria, rica pesquisa, nos traz rico conhecimento, tão bem ilustrada com as excelentes músicas. Hoje, só ouvi Noel Rosa. Voltarei, para ouvir os demais (tão bem selecionados!)...
    Um abraço, Guaraciaba!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lúcia...nós temos experiências parecidas, sendo da mesma geração.Como você, eu me lembro da Revista do Rádio, com as famosas Marlene, Emilinha, Angela Maria e do famoso CaubY Peixoto, que ainda até hoje faz show aqui em São Paulo, com público fiel e encantado. Os filmes da Atlântida com Oscarito e Grande Otelo ...saudades das matinées. O próximo capítulo (rs), vou falar sobre a Era do Rádio.Em tempo, quando eu era menina não gostava muito de ouvir a" hora da saudade" no rádio e que era o programa preferido dos meus pais...e por incrível que pareça aprendi a gostar com meu filho mais novo que começou a pesquisa e me introduziu no gosto de coisas que ainda nem conhecia.A gente ensina e aprende sempre.
      Um abraço

      Excluir
  8. Olá Guaraciaba,
    Delícia ouvir esses sambas maravilhosas que marcaram época.
    Um belo artigo. Estou adorando acompanhar a história de nossa música popular. E o samba é 'tudibom'-rs.

    Feliz semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vera Lúcia, obrigada... o repertório da música brasileira é tão vasto e possui letras tão bonitas que , de fato. acho que é o nosso melhor traço cultural.Aqui no blog ressalto o aspecto histórico e a participação em música fica pequena, mas acho que vale a pena pesquisar porque cada compositor possui um enorme número de contribuições. O site Dono da Voz é magnífico nesse quesito.
      Um abraço e muita luz no caminho!

      Excluir
  9. Guaraciaba,
    Este conjunto de posts é uma preciosidade.
    Parabéns e... obrigado!

    Beijo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, A. C. , Obrigada pela gentileza, eu gosto muito de música popular em suas diferentes vertentes , representa a alma de um povo.
      Um abraço

      Excluir
  10. Muy interesante entrada.Un placer visitarte.Te sigo Besos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada, vamos nos visitar sempre...
      Um abraço

      Excluir
  11. OI GUARACIABA!
    MUITO BOM E RICO TEU POST, AMIGA.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Zilani, obrigada, pretendo colocar no post um breve histórico da M.P.B. entre outras postagens para não cansar os amigos. (rs)... depois de pronto coloco a bibliografia da pesquisa.
      Um abraço

      Excluir
  12. Boa noite de sábado!!

    Saber viver é saber esquecer as coisas que
    te prendem no chão e lembrar das coisas que
    te dão asas. Bom fim de semana!

    Abraços com meu carinho de sempre

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rita, é verdade, saber temperar a vida e a realidade com coisas que fazem bem ao coração...
      é colorir o mundo e dar prazer à vida.
      Um abraço e muita luz no seu caminho.

      Excluir