Amigos

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Sempre...

Todos os rostos, no tempo
todos os risos
Vida que correndo
rio que passou
deixando pelas margens
doces palavras, mil pensamentos, muitas canções...
rodas que girando
sonham todas as memórias,
vão correndo pelas veias
novos rios, de outros risos
novas e antigas emoções...
Todos os rostos, no tempo
todos os risos.
São olhares de outras faces
Combinam-se com outros risos,
vão compondo novos rostos.
Mesmos  sonhos,
mesmas dores
velhas e novas
palavras de amor!


Guaraciaba Perides (2008)

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Tecendo a manhã (João Cabral de Melo Neto)

Um galo sozinho não tece uma manhã:
ele precisará sempre de outros galos.
De um que apanhe esse grito que ele
e o lance a outro; de um outro galo
que apanhe o grito que um galo antes
e o lance a outro; e de outros galos

que muitos com muitos outros galos se cruzem
os fios de sol de seus gritos de galo,
para que a manhã, desde uma teia tênue,
se vá tecendo, entre  todos os galos

E se  encorpando em tela, entre  todos,
se erguendo tenda, onde entrem todos,
se entretendo para todos no toldo
(a manhã) que plana livre de armação.
A manhã, toldo de um tecido tão aéreo
que, tecido, se eleva por si: luz balão.


João Cabral de  Melo Neto

sábado, 20 de agosto de 2011

Nesta hora

Gosto de amora madura
Bem-te-vi acusa o descuidado
Rosa que se abre por inteira
Roupa pendurada no varal
Grama verde contrapondo ao azul
que do céu sem nuvens
serve aos passarinhos.
Revoam pombas brancas...
Há paz no meu mundo nesta hora.

Aranha tece a teia entre as ramas
Beija-flor sugando o  mel
espalha o pólen
A cigarra faz o som do seu destino...
Há paz no meu mundo nesta hora.

Perfume do jambeiro sopra à brisa
Sabiá na laranjeira bica o fruto
Eu meditando, o arco do arco-íris
que se forma no jato d´água
da torneira.
O sol brilha por inteiro...
Há paz no meu mundo nesta hora.

Guaraciaba  Perides  (2011)

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Lua Pequena (letra para canção)

Um pequeno sol de prata
Luazinha criança, luazinha menina,
luazinha mulher
Que saudade da infância
em que você lua Pequena
brincava no meu céu.
Depois saí pelo mundo
pelas estrada da vida
em busca de mil canções...
mas quando de madrugada
Olhando a lua tão bela
cá dentro meu peito chama
por minha Lua Criança,
por minha lua menina,
por minha Lua mulher,
por minha  Lua Pequena
na infãncia do meu céu...

Guaraciaba Perides(2006)

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Rosa Silente

Cálida rosa do meu pensamento
Vejo-te nas nuvens, vejo-te no tempo
Que desabrocha na alma inquieta.
Fica silente
No meu silêncio.
Cálida rosa  desabrochada
centro do ser na curva do tempo
Na luz que emana entre os vitrais
O que de eterno tu representas.
Rosa de ouro, rosa de carne
rosa de alma, rosa de amor
Beirando mundos, filtrando cores
no seu silêncio,
Guardando a alma de um sonhador...

Guaraciaba Perides (2011)