Amigos

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Shostakovich plays Shostakovich - Prelude and Fugue No.24 -PRELUDE E FUGA




Em acordes graves
alaridos de uma mente inquieta...
buscando o sonho de um amor que lhe escapa
na ronda noturna de um outro tempo.
Notas agudas trazem-lhe o alento
que faz pulsar no peito
a ansiedade de encontrar
no sonhos o bem querer
daquela que  ele preza com afeto...

- Chega a bailarina e quase como em voo
alça os braços e gira leve como em rodopio...
e entre  tantos bailados faz-se a festa!

O grave do sonho manifesta a passos lentos
a suntuosidade de um destino...

Como no ar repousa o outro sonho
girando como um catavento...
A doce bailarina se intimida
e tules esvoaçam ao breve respiro de seu  palpitar...

O grave tom encontra a plenitude
quando se une à doce melodia
Faz-se o enlevo amoroso do encontro
sonhos do querer eterno.

Sons e sons  se casam em harmonia...
correm como grãos de areia movidos pelo vento,
soprando como brisa mansa do jardim,
doces como flor n a primavera,
perfumes de fruta no pomar...


De mãos dadas e corações valentes
entoam um dueto quase alegre
que correm como fios de água na janela
e se unem como gotas cristalinas
molhando as frontes dos Enamorados.

Guaraciaba  Perides

ouvindo esta música escrevi estes versos.
 viajei nos sonhos dos sons...

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

A DIALÉTICA DA ROSA

A brisa perfumada em campos roseirais
A lua brilha em seu fulgor fosforescente
passeando por caminhos sinuosos do jardim.
Eu, presente em alma penetro pelos
meandros da paisagem,
e entre  as flores e  lua,
contemplo-me a sorrir
como um contraponto
de mim mesma...
Afinal...que faço aqui?
no meu próprio sonho
ou no sonho de alguém?
Já não estou no tempo,
não me corroem mágoas
e sinto-me abstrata...
Só possuo a aragem perfumada

que  me penetra o ser como alimento.
Entre as companheiras flores pairo
acima do cenário,
por sentir que  de alguma forma
a seiva que corre em meu corpo
é que me traz o perfume que exalo...
A lua brilha um  pouco mais translúcida
por entre nuvens delicadas.
Estou aqui, no tempo do perfume
e  sei que, fora do tempo, sou apenas uma,
das rosas companheiras, apenas pensamento,
que me permite ser
obra conceitual
de Deus.
A aragem nos beija delicadamente
e nossos braços rendem-se agradecidos.
Reverenciamos a lua,
reverenciamos a brisa,
reverenciamos o nosso estar no mundo
...neste espaço de luz , neste momento.

afinal...o que pensam as rosas?

Guaraciaba  Perides


quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

O FIM E O RECOMEÇO

o fim é o recomeço
Assim tão simples.
Sem o intervalo...
Em cada parte
o mundo se reparte.
O sol  se põe no horizonte
e  em outro horizonte
já renasce
continuadamente...
E sendo assim em um
continuum de experiências
se estabelecem infinitos fins
que o reduzem a infinitos
recomeços...
O que brindamos então?
A  completa viagem
da Terra que circula o Sol.
Maestro responsável pela
vida no planeta que aparece
e reaparece
no tempo que flui continuamente...
Brindemos, então, o instante mágico
da Vida,
seja aqui, ali  ou acolá,
porque ,em verdade , estamos
saudando a magia do viver
eternamente...
Os planos que se fazem
são planos dos seus sonhos,
daquilo que no tempo ainda
não deu tempo...
mas, que na Estradado Sol,
o recomeço lhe dará o que precisa:
a Vida como prêmio!
Nas luzes do amanhã
Que brilhem  entre os fogos outras luzes,
imitações das graças que esperamos...
E nas flores que lançarmos ao mar
revelem-se os anseios mais profundos...
Nas místicas orações que se celebrem
O Divino em nós,
restabelecendo a  Esperança
de que  em toda parte e   em
todos recomeços,
Amor e Paz  eternos viverão.


Guaraciaba Perides


Fred  Martins   canta "novamente"...versão do amor fluindo ao longo do tempo



Na imagem da flor  chamada sempre -viva a nossa esperança do recomeço...
Feliz 2018!

sábado, 16 de dezembro de 2017

A LUZ EM EXPANSÃO

Havia uma criança
Havia uma  criança e sua  mãe
Uma  criança, sua mãe e o
mundo que existia...
Aquele mundo recriado na matéria
onde tudo era possível de ser
e de escolher...
Na  escola de mistérios inserida
onde a luz e a treva se enfrentam
onde o bem e o mal entram em combate..
E na voragem de um tempo incontido
definem-se os valores que norteiam
e se expandem em luz ao infinito.
Havia uma Criança
Uma Criança e sua Mãe
E os laços que uniam suas  Almas
eram os santos sentimentos de um
Amor Divino explicitado em beleza pura...
O resto da paisagem era o cenário
onde brilhavam estrelas
e comoviam almas,
que assombravam os homens
e encantavam os anjos!

Guaraciaba Perides


A cantora Fortuna acompanhada dos monges beneditinos do mosteiro de São Bento em São Paulo




                                         MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO

FELIZ   NATAL!

sábado, 9 de dezembro de 2017

CIRANDA DOS ANJOS

 Na Ciranda dos Anjos
Há  Alegria !
Como em uma  canção de Amor
há brilhos em luzes que caminham
e perfumes sutis pairam no ar...
Na Ciranda dos Anjos
Refrescando a noite cálida
a Esperança renasce a cada instante
como se nada mais fosse impossível.
Na Ciranda dos Anjos
A  graça delicada, brilho nos olhos,
Canção de Paz e a doce presença
das palavras mansas,
trazem a certeza que em tudo há
Deus que manifesta...
Na Ciranda dos Anjos
Ares de Festa
não há temor...
pois não se teme quando o  Amor supera
e os Anjos sabem que na sequência da dança
somente se acompanha o palpitar de um coração.
Na Ciranda dos Anjos
Sobem da terra os vapores da noite
e os ventos plácidos circulam em gira mundos...
Brilham no céu estrelas faíscantes
como um manto que se define em jóia
E a Estrela de Belém contempla no espaço
o tempo do Advento.
No campo aberto as ovelhas já não dormem
e inquietas aguardam o Milagre...
Os  pastores em silêncio sonham
belos projetos de viver em plenitude.

Guaraciaba  Perides



Na Ciranda dos Anjos

PAZ E AMOR!

terça-feira, 28 de novembro de 2017

PEQUENAS PINCELADAS NUMA TELA EM BRANCO


A   COR   DO  PASSADO-   Quando se lembra de uma cena antiga / a cor da emoção é que
se exprime / um filme que se passa em nossa mente /por fora e por dentro a vida se observa/
Colorida ou fixa como uma foto em branco e preto...

TOM   SOBRE   TOM- as primeiras experiência da Primeira Infância -
A primeira flor- caramanchão
debaixo da qual  a menina sonhava ser a Vida
A primeira amiga que lhe ensinou o B a Bá das brincadeiras de meninas:
a primeira Rosinha que conheceu da espécie  humana...
Bolo de areia à beira de um riacho comemorava
aniversários hipotéticos de hipotéticas esperanças
do Primeiro "faz de conta".
O primeiro  sabor- torta de maçã de uma matrona húngara/
nunca mais sabor igual...até hoje busca a menina o antigo doce.
A  primeira despedida : de uma outra menina que  chorando
dizia ir para a China e de lá não mais voltava...
China? era apenas um nome  e podia ser talvez  ali na esquina...
Vida e sonhos...sonho são!
Depois as tias, doces como mel...de mãos em mãos as vontades
sendo feitas, Cantigas de Ninar, Colo de mãe!
Vida e sonhos...sonhos são!
A primeira Cartilha/ objeto de conquista e libertação...não mais
depender de "leituras oficiais " de boa vontade...
O primeiro herói: num conto de encanto um garotinho com o dedinho
segura uma comporta e salva a Holanda de desaparecer sob as águas do mar!
O primeiro ídolo: Peter  Pan  que descobrira a Terra  do Nunca...
A primeira trapaça; no primeiro dia de aula uma outra garotinha pediu-lhe a
mala que levava com orgulho e ela  indefesa que não aprendera dizer não
entregou-lhe o objeto da cobiça- " Ela pediu e Eu lhe dei!"
Sonhos  e Vida...são assim!
O primeiro menino bonito da aula de catecismo...olhos azuis!
o primeiro outro da  'espécie'  que distinguia, mas que passava por
ela sem a ver...esquece! Sonhos, sonhos são!
................................................................................................................
O quadro vai compondo em breves pinceladas as que virão depois:
amizades, despedidas, sabores , histórias ,  conquistas ,  trapaças e amores
que ao longo da vida vão definir o Ser que se fará  Pessoa ,
personagem completa de uma história.
Sonhos e  Vida continuam...

Guaraciaba Perides


Mercedes Sosa canta a música de Violeta Parra   "Gracias à la Vida"







sexta-feira, 17 de novembro de 2017

O GRILO FALANTE

Aquele grilo da história
Aquele que não se cala
Aquele que não se amedronta
Diante da verdade dos fatos

Aquele que olha nos olhos
Que enche de brio o valente
e põe coragem nos fracos

Aquele que na noite escura
Retira o sono  dos justos
Faz o milagre da  fé
onde a esperança se cala

Persiste na fala mansa...
pondo o algodão nos ouvidos
e suas palavras são notas
de música na solidão

Vem de manso, como amigo,
Resistente quando quer
trazer de volta o perdido
no sonho de alguém que vaga
sem o sentido do querer

Este  meu  e nosso amigo
Vem com ares de menino
Faz brincadeiras de jeito
que todos podem entender...

Mas na calada da noite
Entre o véus de sonho, embala,
Faz a verdade vir   à tona
E não há como dela escapar...

E na memória persiste
mesmo que a razão insista
em dele se ocultar...

Não há como possa fazê-lo -
pois aquele grilo da história,
faz parte da nossa história,
do mapa da nossa  vida  -

Diz respeito aos nossos sonhos
Da trajetória da alma
que se encarna neste agora
e ainda pretende viver.

Guaraciaba Perides




Do nosso  mais querido" Grilo" do Brasil  (Tom Zé)em uma visão introspectiva


 e para completar ainda Tom Zé na sua magnífica composição  o "grilo social"
na música" Senhor Cidadão"



   
Que os nossos grilos sejam nossos melhores conselheiros...