Amigos

segunda-feira, 17 de junho de 2019

A leitura que se faz quando se sonha...

Eu fecho  a janela e  abro os olhos
e começo  a sonhar  em outro  tempo
viajo pelas  asas  do absurdo
e de repente  entro em transe  no  abstrato.
Eu sou aquela  que ainda  espera
a primeira  estrela 
brilhar  no céu  da fantasia.
O tempo passa  apenas no relógio
mas não em  mim  que ainda sonho  em vão
São tantas e tantas  descobertas
que  se abrem  no painel  do coração.
Aquela  que  sonha   é  a menina
que um dia resolveu   crescer...
Mas quando  fecho  a janela e abro os olhos
Sou  eu  liberta  das amarras  de conceitos e
deixo  a  alma correr  ...
E já não tenho   idade e já não tenho  medo
e apenas  sei de mim  no meu profundo anseio,
crio  paisagens e   percorro  mundos
e bem no fundo  do  meu eu faço ironias,
pois  sei que sempre chega  a hora  de  acordar.
Se o sonho  é bom  eu penso  que  ele espera
pois   sempre  a releitura  haverá... e
outras  matérias  de  sonhos vão chegar.
Mas  também sei  que no espaço de um sonho
há  sempre um  tempo maravilha que é transposto
Um trampolim  no  círculo  de luz de um
céu  de  estrelas...
Que bom que seja , assim tanta esperança...
 A vida lá fora já me chama
O sol nasceu  e o galo  já cantou?
O galo  já  não canta, pois virou  conceito
Os pássaros  resistem  com denodo 
e assim como nós procuram um jeito
de fazer  valer  a poesia  que acabou...


Guaraciaba   Perides

Sonho  Meu...   De  Dona  Ivone  de Lara   -  cantam  Maria  Bethania  e  Gal  Costa


                                          
   
    

às vezes  abrimos  os olhos  para  sonhar 
o que de mais  profundo  existe em  nosso Eu

domingo, 2 de junho de 2019

CAPELINHA DE MELÃO (memórias)

A  casa  em  alvoroço!
É  a  festa   que  se prepara
feita  com  muita  emoção...
No quintal  de  terra  batida,
entre  galos  e  galinhas..
É  levantado  um  mastro
do  santo  de  devoção.
E  depois  de muito  esforço
desfralda-se  uma  bandeira...
e nela um  menino ,
de cabelo cacheado,
de olhos  doces e  meigos
traz  no  colo  um  carneirinho.
Passeando  entre  os  adultos
a menina se interroga:
- Quem  será  esse  menino ?
Tanta  festa,  tantos  doces,
tantos  risos,  tanta  alegria...
Passavam pessoas  de lá  para  cá...
e lá  da sala  de dentro,
arrumava-se  um  altar,
como se da  igreja  fosse...e
as moças que arrumavam
traziam  toalha  rendada  e
flores  em  profusão.
A  menina nunca  vira tanta gente...
e ficava  admirada
- O que será?  o que seria?
Perguntou  à  sua mãe o porque
do  alvoroço...Sua  mãe  que  também
se encantara, disse-lhe  que
era para rezar  o terço
em homenagem  a São  João...
- E  quem é  o São  João?
-É  o menino  do  carneirinho
que você  viu  na  bandeira e
que está lá no  quintal.
-E   por  quem tem tanta  festa?
-É  que é o dia da  festa
do  Padroeiro  da  casa,
pois o dono  e  seu  avô
também  se chama  João.
Agora,  os olhos  se abriram!
que  alegria,  que  alegria!
Por isso todos    chamavam
o vovô  de  Seu  João!
E a menina  olhava da varanda
para  a calçada
e viu que bem a sua frente
faziam  uma  grande  fogueira...
Estilhaços  e fagulhas
brincavam  na  escuridão!
Depois  da  reza  comprida
e  cumprida  a devoção...
Vamos  aos  comes  e bebes
porque os risos correm soltos
-Ei , que lá  vem o  quentão!
As  mulheres  na cozinha
junto  ao  fogão  de lenha
preparam já  os  quitutes...
e  sobretudo  os  doces
que  a menina  aguardava...
Eram  os pés  de moleque (?)
doces de leite e broínhas de milho,
bolinhas  de amendoim...
e também  muita pipoca
que  a  menina  adorava!
Era noite e  a lua  cheia
brilhava  com  encantada...
E  como estava  sozinha
a  menina  desceu  ao  jardim
que havia  ao lado  da  casa...
e num  pequeno  portal
havia  uma trepadeira de
lindas  flores  em penca
e  de perfume  muito doce...
E a menina  fica olhando
-Tudo  tão  novo  e  tão   bom...
Sua mãe  que  viera  atrás,
porque  a  menina é  pequena...
E  a menina  perguntou;
-Mamãe, qual é nome  dessa flor?
A  mãe  então  respondeu:
-Chama  flor  de  São João.
 E  a menina de novo admirou-se
- Parece  aquela que a senhora  canta
quando vai  me fazer dormir!
E  sai pulando  e  cantando
"Capelinha  de melão...é de São João,
é  de cravo, é  de  rosa  ,  é  de  manjericão..................

De tudo só resta  a lembrança
De  uma  festa  de  São  João!

A música ecoa  ao  longe
a lua  ainda  pode  escutá-la.
ficou  a saudade  infinda
na alma  e no  coração!

Guaraciaba   Perides



Flor  de São  João


Os  tempos  verbais  se misturam  porque o que foi um dia  presente e hoje já é passado, mas ,
 entretanto,  a menina  ainda  existe e com ela   persiste  a memória  de todos  os  tempos

quinta-feira, 23 de maio de 2019

ENQUANTO AS HORAS PASSAM

A  fala  é desconexa
O pensamento  de  granito
Nada   flui, não  há  leveza
ou  sentimento.
Contraditórios  loucos  sonhos
fazem  do  cavalo  o seu  senhor.
Se  fosse  um  andarilho...
Se  fosse  um  equilibrista...
Traria  guarda- sóis  de  girassóis.
Tangentes  e plangentes
perfídias  se  avizinham
do  torpe  bailarino
faz  de  conta...
Seu  riso  força  a  entrada do destino
Alienados  e  sutis são  os 
fios  do mambembe...
No circo  flutuante , em  águas turvas
que  se  condensam  em  torvelinhos...
O  palco   está  armado
As  feras  abrem  as  bocas...mostram  os  dentes.
Um  sol  perdido escondido  atrás  do  tempo-
outras  histórias   em  tudo  tão  iguais.
Agita-se  a  platéia...em  grupos  desunidos,
batem  palmas  e vaias   em uníssonos...
A   graça  que  se  perde,  o  sonho  que  se  esvai.
Os  sábios   que  se calam
fecham  os  olhos.
O  homem  do  trombone  solta  o  som,
os  pratos  ressoam  estridentes,
o  bumbo  ressoa   em  tom  severo...
E  enquanto  o  tempo  passa 
a  Banda  toca...
Sempre  a  mesma  música 
e  o mesmo  tom.

.........................................................
E vem  de  outros   tempos
Outras  falas...
Conceitos  abstratos
do  ' Vosmecê '  encantado
dos  Senhorios e  Patrões

Guaraciaba  Perides

Obra  de Portinari (fragmento  de  Guerra  e Paz)

segunda-feira, 13 de maio de 2019

CAMAFEU

- Como  ela   é   bela! -  pensa  o  Colibri
- E o  seu  perfume  é   intenso!
Diz  com  suavidade  a brisa.
O  sol  contempla complacente  a  obra
E a  beleza resplandece  em  flor.
E na  manhã  ainda  tão  nascente
O  orvalho  molha  seus  lábios  de mel
Ela estremece  ao  gozo  desta  vida
E  muita  mais  encanta  o  seu  desabrochar...
Passa  o  poeta  por  este  recanto
e  vendo  a bela,  começa  a  cantar.
Seus  versos fluem  em  doces  murmúrios
e  ela  tão  meiga  começa  a  dançar...
Movendo  com  leveza  os  ramos,
ela  se  inclina  delicadamente,
e balançando  as  sedas  que  compõe
seu  talhe...ela  gradece  como  bailarina.
Guardou  em  sua  memória  o  artista.
E  fez  da  cena  de  beleza  etérea
uma  joia    rara  para  sua  amada
E  num  camafeu  de  valioso  entalhe
registrou  o  encontro com  algo  de magia:
A  interação  de  Flor  com  versos  de Poesia.

Guaraciaba  Perides.












sonhando   a  vida...

sábado, 4 de maio de 2019

ANDANDO EM CÍRCULOS (fragmento de memória)

 Uma  praça ,  um jardim
Um grande  Plano
Uma  Esperança  infinda
Um  sonho  de  viver  a  Vida...
As  horas  são  apenas
círculos   no relógio e
nada  consta  que não se repitam
pelos  anos  a fora.
A  Estátua  de  MINERVA *
e seus  grandes pés apontam
todos  os  caminhos...
Dali  circundam  as  várias setas
que percorrem  o mundo.
Um  mundo  a construir, um novo passo
à  realidade das  cores  do caleidoscópio,
no mundo real e  virtual  dos  sonhos.
Um  tempo  de  abrir os  pensamentos
para a  filosofia  do  existir em
novas  vivências  e  experiências.
Tudo  tão  novo  e  fascinante
e pleno de  caminhos mágicos entre
as  tantas  realidades  dos  possíveis.
O  mundo  de viver  a Lua sendo
palmilhada  por  humanos...
Será isso  possível?
Os  deuses  do passado  serão  os
deuses  do  futuro...
Serão os  "deuses  astronautas"?
Seremos um ,  dois  ou  mil...
ou  seremos  "todos um"?
Seremos  todos  Junguianos do
"inconsciente  coletivo"?
Será  o  tempo  da  "Paz  e  Amor",
no circuito  do  Vietnã...?
Só  um  momento...
num ciclo  de  múltiplas  lembranças...

A  Deusa  Minerva  permanece  estática
e  seus pés  ainda  apontam  rumos...
Só  não  sei se  ainda  existem  jovens
que  ainda  sonham...

Guaraciaba  Perides

*  Nota:  Na  Biblioteca   Mário  de  Andrade,
em  São Paulo, há  no adro , uma uma gigantesca  Estátua   de  Minerva .
Lá  se  reuniam os  estudantes para  discutir o  mundo  em  suas
variadas  soluções (décadas de 50, 60 ,70...)
Eu  fazia  parte  aos  meus  vinte  anos...



A música  "Hier  encore"  com Charles  Aznavour






;andando   em círculos  na Rosa  dos  Ventos e  na memória  dos  tempos...




segunda-feira, 22 de abril de 2019

PISA DE LEVE.... O sonho..

Pisa  de  leve
Pisa  macio
O  mundo  dorme
Badalam  horas
O tempo  aquieta
O sono  vem
Já é outra  história...

Lá onde  a lua
Espia mansa
E  a gente  vive
no contraponto
de outra  memória
Contracenamos como atores
sem nenhum  senso  de realidade...

Outra paisagem  que vagamente
familiarmente
é tão real como no sonho...
daquele outro
que a gente  vive
em outro tempo
e outro  espaço...

Badalam  horas
É  o  sol  que nasce
do  outro  lado  da  mesma Esfera...


Guaraciaba   Perides


imagem de internet


A  Moça  do  Sonho  ( música  e letra  de Chico  Buarque) Canta  o  Autor

Apenas  somos...

sexta-feira, 12 de abril de 2019

RISO E ALVOROÇO

O  MENINO  SOBE  O  MORRO
DESCE A  ENCOSTA  ROLANDO
SEU RISO  AO  SOL  DA  TARDE
ACORDA  A  PRIMEIRA  ESTRELA
SEUS  PÉS  DESCALÇOS ENLAÇAM
COM  CARINHO  A  RELVA  MACIA
AS  FLORINHAS  COM  CUIDADO
FAZEM CÓCEGAS  NO   MENININHO


SONHAR  O  MUNDO  É  SEU  MISTER
E  A INFÂNCIA  É  O SEU   PRIMEIRO  ESBOÇO
E  NO  PRAZER DE  DESCOBRIR  ENCANTOS
FAZ-SE  O  CAMINHO  EM  RISO  E  ALVOROÇO

MOLHA  SEUS  PÉS NAS  ÁGUAS   FRIAS
DO  RIBEIRINHO
SEUS  OLHOS  BRILHAM, SEU RISO  ESTALA
QUANDO  DESCOBREM  NA  TRANSPARÊNCIA
DAS  ÁGUAS  CLARAS
OS  SEIXOS  BRANCOS...BELOS PEIXINHOS.

FRUTOS  MADUROS  EXALAM O CHEIRO
ADOCICADO  DE  FOME   IMENSA
CORRE  O  MENINO,  TREPA  NA  ÁRVORE
E  MORDENDO  FORTE, O  SUMO ESCORRE
PELO  SEU  ROSTO

OLHA  O  CÉU  DE  AZUL INTENSO
AO  ALTO  AS  AVES  FAZEM  A  DANÇA...
PRAZER  DA  VIDA,  VIVER  SEM  MEDO,
QUANTA  ALEGRIA,  GOSTO  DE  INFÂNCIA


 Guaraciaba   Perides




Quadro  de  Portinari


 Riso  e alvoroço nos caminhos  da Infância