Amigos

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

THE SELFISH GIANT ( O GIGANTE EGOÍSTA ) Um conto de Oscar Wilde

Toda tarde, quando voltavam da escola,as crianças costumavam ir brincar no jardim do gigante.
Era um jardim grande e agradável com um macio e verde gramado.
Aqui e ali havia sobre a grama belas flores com estrelas e havia doze pessegueiros que no tempo
da primavera floresciam com delicadas flores rosadas e peroladas e no outono produziam ricas
frutas. Os pássaros pousavam nas árvores e cantavam tão docemente que as crianças paravam de
brincar para escutá-los.  "Como nós somos felizes aqui" eles falavam uns aos outros.
Um dia o Gigante voltou. Ele tinha ido visitar o seu amigo no "Cornish Ogre" e permaneceu com ele durante sete anos. Após  terem se passado sete anos e  já se tivesse sido dito tudo, pois a conversa
entre eles era limitada, ele resolveu voltar para o seu próprio castelo.
Quando ele  chegou viu as crianças brincando no jardim.
"O que vocês estão fazendo aqui?" ele gritou com uma rude voz, e as crianças correram para fora.
"O meu jardim é o meu jardim"- disse o Gigante " Eu não permitirei que ninguém brinque  nele a
não ser eu mesmo".  Então ele  construiu um alto muro em volta e colocou uma placa com o aviso:
OS INTRUSOS SERÃO PROCESSADOS
Era um Gigante muito egoísta.
As pobres crianças não tinham mais, agora, lugar para brincar.
Elas tentaram brincar na rua, mas a rua era muito suja e cheia de pesadas pedras e elas não
gostavam. elas costumavam rodear o alto muro quando suas aulas terminavam e conversavam sobre
o belo jardim: "Como éramos felizes lá" eles diziam uns aos outros.
Então, chegou a Primavera e o país todo estava com pequenas floradas e passarinhos. Somente no
Jardim do Gigante egoísta era ainda inverno. Os passarinhos não cuidavam de cantar , lá não
havia  crianças e as  árvores esqueceram de florir. Uma vez uma bela flor colocou sua cabeça para
fora da grama, mas quando ela viu a placa com o aviso, ficou tão triste pelas crianças que ela voltou
para dentro do chão e voltou a dormir..
  As únicas pessoas que estavam satisfeitas eram a neve e a geada: "A primavera esqueceu deste
jardim" eles exclamavam, "então nós viveremos aqui durante todo o ano"
A neve cobriu toda grama com seu grande manto branco  e a geada pintou todas as árvores de
prata.
Então, eles convidaram o Vento Norte para vir ficar com eles  e ele veio. Ele estava embrulhado
em peles e rugiu todo o dia sobre o jardim e golpeou as chaminés.
"Este  lugar é uma delícia" ele disse. "Nós devemos chamar o Granizo para uma visita".
Então veio o granizo. Todo o dia , por três horas ele chacoalhou o telhado do castelo até quebrar
a maioria das telhas e então girava, girava e girava em volta do jardim tão rápido quanto podia.
Ele estava vestido de cinza e seu sopro era como gelo.
" Eu não entendo por que a primavera está demorando para vir" disse o Gigante egoísta quando
sentou-se perto da janela e olhou para o seu branco e gelado jardim. " Eu espero que haja uma
mudança no tempo"
Mas a Primavera nunca vinha, nem o Verão. O Outono dava frutos dourados em todos os jardins
mas no jardim do Gigante não  dava nenhum.  "Ele é  tão egoísta" ele dizia. Então, era sempre
inverno lá  e o Vento Norte, o Granizo , o Gelo e a Neve dançavam entre as árvores.

Uma manhã o Gigante estava recostado em sua cama  quando escutou um canto adorável.Ele
soava tão doce em seus ouvidos que ele pensou que  deveriam ser os músicos do rei que estavam
passando. Realmente , era só um pequeno pássaro cantando fora de sua janela, mas fazia tanto
tempo que ele escutara um pássaro em seu jardim que para ele parecia ser a mais bela música do
mundo. Então o granizo parou de dançar sobre sua cabeça e o vento norte parou de soprar e um
perfume delicioso chegou até a ele através da veneziana aberta . " Eu creio que por fim chegou
a primavera" disse o Gigante, ele saltou da cama e olhou para fora.
O que ele viu?

Ele viu a mais linda cena
Através de um pequeno buraco na parede do muro as crianças rastejaram para dentro do jardim e sentaram-se nos ramos das árvores.Em cada ramo de árvore ele podia ver um criancinha.
E as árvores estavam tão felizes de ver as crianças de volta que  novamente se cobriram de flores e
gentilmente estendiam seus braços  sobre as cabeças das crianças.
Os pássaros voavam e chilreavam  com prazer e as flores do gramado olhavam para cima sorrindo.
Era uma adorável cena.

Somente num canto mais afastado do jardim era ainda inverno.,onde se
encontrava parado um garotinho. Ele era tão pequeno que não podia  subir pelo galhos da árvore
e  a rodeava chorando amargamente. A pobre árvore estava ainda coberta de gelo e neve e o
Vento Norte soprando e rugindo sobre ela.
"Suba  menininho" disse a árvore e inclinava seus ramos para  o mais baixo  quanto pode mas
o menininho  era muito pequeno.
E o coração do Gigante se derreteu quando olho para fora. "Como tenho sido egoísta" ele disse,
"Agora eu sei porque a Primavera não vem mais aqui. Eu colocarei o pobre menino em  cima
da árvore, e então, derrubarei o muro e o meu jardim será o lugar de diversão para as crianças
para todo sempre".
Ele estava realmente muito magoado pelo que tinha feito. Desceu as escadas e abriu a porta bem
suavemente e foi para o jardim. Mas quando as crianças o viram fugiram assustadas e o jardim ficou
novamente invernal.  Somente o garotinho não correu , pois seus olhos estavam tão cheios de
lágrimas que ele não viu o Gigante vindo.  E o Gigante parou atrás dele e delicadamente pegou-o
com suas mãos e o colocou em cima da árvore. E  a  árvore   mais uma vez floresceu e os pássaros
vieram e cantaram nela e o garotinho estendeu seus braços  e abraçou o pescoço do gigante e
beijou-o.  E as outras crianças que estavam observando de longe voltaram correndo e com elas
voltou a Primavera.
"Agora o jardim é de vocês, criancinhas" disse o Gigante e pegou um grande machado e colocou
abaixo o muro. Quando as pessoas foram ao mercado às doze horas encontraram o Gigante brin-
cando com as crianças no mais belo jardim que jamais tinham visto.
Ao longo de todo o dia eles brincaram e quando a noite chegou o Gigante lhes disse adeus.
"mas onde está o seu  pequeno companheiro?" ele  disse "Eu o pus na árvore"- O gigante gosta-
ra mais dele porque ele o havia beijado.
" Nós não sabemos" responderam as crianças "Ele foi  embora"
"Vocês digam a ele que volte aqui amanhã", disse o  Gigante.  Mas as crianças disseram que
não sabiam onde ele morava e nunca o tinham visto antes, e o Gigante sentiu-se muito triste.
Toda tarde quando fechava a escola, as crianças vinham e brincavam com o Gigante. Mas, o meni-
ninho nunca mais foi visto.
O gigante era muito atencioso com todas as crianças mas sentia falta do seu primeiro amiguinho e sempre falava dele. "Como eu gostaria de vê-lo" ele costumava dizer.
Os anos se passaram e o Gigante ficou velho e fraco. Ele não podia brincar mais, então ele
sentava numa poltrona e assistia as crianças brincarem e admirava o seu jardim. "Eu tenho flores
muito belas" ele dizia "mas as crianças são as mais belas flores de todas".
Numa manhã de inverno ele olhou através de sua janela  enquanto se vestia.
Ele agora não odiava o inverno pois sabia que era apenas a primavera que estava adormecida e
as flores estavam descansando.
Repentinamente ele esfregou seus olhos  assombrado e olhou e olhou. E certamente era algo
maravilhoso. No lugar mais afastado do jardim estava uma árvore coberta com adoráveis flores
brancas. Seus ramos eram dourados  e em sua ramagem havia um fruto prateado. Embaixo  da árvore
encontrava-se  o garotinho que ele tanto gostara.
O Gigante  desceu correndo as escadas em grande alegria e foi para o jardim.Ele apressou seus
passos através do gramado  e chegou perto do menino. Quando olhou de perto, seu rosto ficou vermelho e bravo e ele disse: " quem ousou  machucar você? pois nas palmas das mãos do menino
estavam as marcas de dois pregos e as marcas de dois pregos estavam nos seus pezinhos.
"Quem ousou machucar você?" gritou o Gigante. "Diga-me que eu pegarei minha espada e o
matarei"
"Ninguém" respondeu o menino "mas estas  são  feridas do Amor"
"Quem sois?" disse o Gigante e com  um estranho sentimento de veneração  ajoelhou-se ante o
Menino. E o Menino sorriu para o Gigante." Deixe-me brincar mais uma vez em seu jardim,hoje
você virá comigo para  o meu jardim que é o Paraíso.
E quando as crianças correram a tarde para o jardim encontraram o Gigante morto debaixo
da árvores todo coberto  por brancas flores.

OSCAR WILDE
Traduzido  por Guaraciaba Perides

Um lindo vídeo contando em animação este conto  infantil de Oscar Wilde





Espero que tenham gostado como eu, principalmente pelo surpreendente final.

20 comentários:

  1. Oi Guaraciaba que coisa querida este vídeo e o conto do Oscar Wilde. Adoro sua maneira linda de escrever e traduziste gentilmente para nós. Adorei e comecei bem meu sábado. Obrigada.
    Bom findi e bjks

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lia...que bom que você gostou...eu gostei muito deste conto que achei oportuno compartilhar.
    Um abraço e Boas Festas Natalinas!

    ResponderExcluir
  3. Enquanto lia, cenas de um filme, no qual eu era uma das crianças, ia se formando em minha mente...
    Passar por aqui, Guaraciaba, é aprender muito.
    Beijo e Pax Profundis!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Shirley, realmente é um conto de muita sensibilidade, chamado de infantil, mas serve para nós adultos fazermos uma profunda reflexão sobre o tema da necessidade de reencontramos os aspectos mais puros
      da nossa alma e assim nos transportamos à infância. Interessante como você captou a mensagem...eu particularmente pensei mais no Gigante e como ele superou o seu egoísmo permitindo um contato mais humano e assim sendo mais feliz.
      Um abraço , Paz e Amor

      Excluir
  4. Oscar Wilde presenteou o mundo com obras extraordinárias. Esse conto é belíssimo e poderia ser adaptado como peça infantil para encenação nesta época natalina. Você não vai publicar suas maravilhosas traduções,Guaraciaba? Parabéns,por tão primoroso trabalho!
    O vídeo é lindo!
    Obrigada.Meu abraço...

    ResponderExcluir
  5. Oi, Lúcia , eu estava louca para postar este conto mas eu estava procurando um vídeo mais elaborado...a tradução não foi muito trabalhosa , acho que o inglês da época era mais comportado (rs)...mas eu demorei um pouco porque conhecia a história parcialmente ...foi só quando conheci o final da história´que eu me empolguei s
    de repente achei o vídeo perfeito. amei o final da história e conto como um todo leva-nos à reflexão da solidão
    do egoísmo e o mundo feliz que o gigante encontrou quando derrubou os muros do castelo. De fato, você tem razão , ele é bem apropriado para o teatro infantil...já pensou um musical, que lindo?
    Um abraço e um Santo Natal e um Ano Novo com saúde , Paz e Amor

    ResponderExcluir
  6. Uma história para reler.

    Encantou-me.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Que bom, Pérola, que você gostou. Obrigada.
      Um abraço

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Wilde é fenomenal né, de arrepiar os pelos! abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ives, também gostei muito da mensagem contida no texto.
      Um abraço

      Excluir
  9. Maravillosa Historia de Oscar Wilde, uno de mis favoritos.
    Una ejemplar lección de relato en el cual el Gigante, gracias a las crianças pudo contemplar la diversidad y belleza de la Primavera y darse cuenta de que el egoísmo no conduce a ninguna parte.
    Abraços e Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pedro Luis, é verdade, o tão polêmico em seu tempo, Oscar Wilde , sabia também escrever para crianças de uma maneira tão poética e delicada.
      Um abraço

      Excluir
  10. Ola ,sensacional este conto de Oscar Wilde.Parabéns e obrigado por nos presentear com esta maravilhosa postagem.Mil abraços.SU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzane...não daria um lindo musical infantil?...Obrigada pelo comentário.
      Um abraço

      Excluir
  11. Confesso que não conhecia e mesmo não conhecendo adorei o Conto, pois a tua tradução deixo-o muito atraente e expressivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem adaptações mais simples deste conto, mas quando conheci a beleza do Rouxinol e a Rosa fique interessada no texto original do Gigante Egoísta e me surpreendi com a poesia e a mensagem, pois ele
      de fato escrevia com muita poesia.
      Um abraço

      Excluir
  12. Hoje vim deixar meu abraço pelo ano
    todo que vc esteve comigo, agradeço seu carinho
    vou sair de férias e volto em janeiro com meus posts
    favoritos, espero que nossa amizade permaneça em 2015
    Desejo um feliz Natal e um novo ano cheio de muita Paz

    Aqui minha gratidão por tudo

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Rita...obrigada pela atenção. Um FELIZ E SANTO NATAL ! e que 2015 venha com SAÚDE , PAZ ,AMOR E ALEGRIA!
    UM ABRAÇO DO TAMANHO DO MUNDO

    ResponderExcluir
  14. Olá

    A última vez que ouvi isto devia ter uns 7 anos. Tenho agora quase 50.
    agradeço que me puder ajudar a encontrar a versão original em Português, a que eu tinha quando era garotoa, e que como neste texto aqui se pode ouvir "que pegarei em minha espada e o matarei"
    Esta foi a frase que ficou para sempre em minha mente e as versões youtube são de uma versão "politicamente correcta" onde não diz que matarei, claro está!
    Não consigo ouvir isto sem chorar compulsivamente

    Obrigado
    PF

    ResponderExcluir