Amigos

quinta-feira, 28 de junho de 2012

No pano de boca do teatro

No pano de boca do teatro

Contornos do sol no céu quase azul
encontram no horizonte o verde mar
e a linha sutil do pensamento
procura uma estrela em teu olhar.
O vento percorre os caminhos da memória
e cinzela esculturas desse tempo
na praia que se estende ao infinito;
na poeira do eterno que se move
e que compõe para sempre nossa história.
Acima uma ave solitária
pontilha de branco as cores da paisagem...
Ondas que se quebram pontuando as horas
de outros momentos, de outros encantos,
marcando passos, levantando templos,
novas passagens dos mesmos sentimentos.
Novas feiçõs dos mesmos pensamentos
no cenário quase imóvel
do pano de boca do teatro...

guaraciaba Perides (2001)

3 comentários:

  1. Amei este poema...!Interessante "procurar uma estrela em seu olhar"...
    Um abraço deste grande admirador, minha querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita e pelo incentivo.
      Um abraço

      Excluir
  2. Tão LINDO!!!! :-)

    Tema do mar, das gaivotas, canções que nos encantam por dentro.
    Sentir agora o murmúrio do mar deixou-me a flutuar nas ondas de tantos sonhos que guardo em mim.

    Beijinho*

    ResponderExcluir