Amigos

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Tudo que foi sonho

Voltando no tempo/do relógio da vida
vão voando céleres/ os pássaros passados
vou ficando jovem/ vou ficando plena
de lonjuras tantas/ de alegrias mansas
de risadas loucas/ de brinquedos puros
de sonhares muitos/ coração aos pulos
no pulsar de anseios/ de ousadia e medo.
Das certezas feitas/ de conceitos vários
Do poder de tudo/ recriar o mundo,
torná-lo enfim, perfeito.
Na primavera/ da estação primeira,
do sonhar a vida/ de outra forma e jeito,
de igualdade e luz,
de homens e mulheres/ muitas raças , credos,
na esperança ousada/ nos trariam os ventos/
aqueles que de redemoínho/ nos fariam livres/
nos fariam puros/ nos fariam iguais.
Foi que então soubemos/
que era aquele o tempo/ e no correr das horas/
tudo que foi sonho era pra ser vivido/
naquele instante, enquanto
sopravam os ventos / que pulsavam puros/
os corações meninos/ ainda imaculados/
sem saber da vida/ desta luta inglória/
desta guerra  espúria /onde perecem os sonhos.

Guaraciaba Perides (2012}

3 comentários:

  1. Toda essa bela poesia, à medida que fui lendo, me fez associar ao "Arquivo Nirez", uma página que "frenquento" no facebook .
    Conheço o dono da página, o arquivo existe (em Fortaleza) e nela, são postadas fotos antigas da nossa cidade.
    O interessante, é que os comentários falam dos "tempos inocentes". Os que lá estão, recordam os hábitos, os prédios, pessoas, de um tempo que já vai longe...de muitos sonhos que pereceram...

    Um grande abraço, Guaraciaba,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lúcia, os belos anos de nossa juventude...quando a gente acreditava na possibilidade de um mundo melhor,de maior igualdade e liberdade e de que tudo que sonhávamos dependia apenas de nós.A vida estudantil fervilhava em idéias em todos os lugares do mundo e uma aura romântica cobria nosos sonhos.São Paulo era uma cidade que era alimentada pela vivacidade de seus jovens, a Universidade de São Paulo e seus professores de mentes abertas politicamente ,os teatros, principalmente o Teatro de Arena com peças de conteúdo libertário e nacionalista,os festivais de Musica popular brasileira...enfim uma delícia relembrar essa época e o quanto éramos puros nos nossos interesses.Vou procurar conhecer o Arquivo Nirez e muito obrigadapela sugestão.Um abraço

      Excluir
  2. Guaraciaba,
    Há sempre algo que fica de outras eras e que foi vivido de forma intensa, mas, felizmente, temos a capacidade de reformular os sonhos.

    Beijo :)

    ResponderExcluir