Amigos

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

A Tecelã

Os fios embaralham e se cruzam
em nós que atam e desatam
tecendo a teia do destino.
Em novas formas que alternadas
vem e repetem...o mesmo padrão.
São linhas finas,  mas resistentes,
que não se rompem, antes reforçam
o que ao longo do tempo tecem.
São os afetos que permanecem
em outras rotas de fios esparsos
que entram no jogo e acrescentam
outra textura de fino enlace.
Seguindo rotas que se conhecem
ou não se sabe para onde vão...
vão recompondo cenas singelas
de cores várias de doce enlevo;
outras, nem tanto, tão abstratas,
no pensamento, não se percebe
o seu enredo.
E a fina malha vai se estendendo
ao infinito que se revela...
onde se unem todos os fios,
os nós se juntam,
não se desatam...
Completa-se a obra
e a obra é Bela!


Guaraciaba Perides (2011)

Um comentário: